4 de janeiro de 2017

hsoul

Empresas Formadoras. Por: Roberto Garini.

Alguém me falou ou devo ter lido em algum lugar que existem dois tipos de empresas, as ganhadoras de dinheiro e as empresas formadoras.

As diferenças são muitas, mas a que mais me toca é a pressa de uma e a calma de outra.

A empresa ganhadora de dinheiro tem a pressa desde a contratação até a dispensa de seu colaborador. 
Já no anuncio de empregos ela pede experiência para setores em que se sabe que existe apenas uma dezena de profissionais, ou seja, alguém empregado vai trocar de emprego. O desligamento então é mais simples ainda, não atingiu a meta, esta fora. Neste tipo de empresa só interessa o lucro, não existe o estimulo para que um colaborador tenha um MBA ou uma pós graduação que proporcione um maior conhecimento e que este conhecimento seja dividido entre seus pares.

Este tipo de empresa é predatória em todos os sentidos, pois não tem historia e não estão preocupadas em fazer historia. Não buscam modelos, não inventam nada, não aprimoram coisa alguma, ou seja, nada devolvem para a sociedade. Sendo politicamente correto podemos dizer que são empresa que não se preocupam com a sustentabilidade.

Este conceito de sustentabilidade não deve ficar restrito a economizar energia ou reaproveitar folhas de papel nas duas faces. O conceito de sustentabilidade deve ser entendido mais amplamente como, a melhor maneira de estar no mercado sem prejudicar todo o meio ambiente.

Mas voltando ao assunto principal, falemos um pouco das empresas formadoras, que são aquelas que acompanham um colaborador desde estagiário ate sua formação integral. Empresa formadora é aquela que dá cursos de atualização para todas as áreas, treinando seus colaboradores compondo a formação de um colaborador para que o conhecimento seja dissipado por todos e entre todos.
A empresa formadora tem a calma necessária para a formação total do indivíduo, estabelecendo critérios nos conteúdos técnicos, psicológicos e culturais.

A empresa formadora dificilmente vai ao mercado buscar um gerente ou diretor, pois ela durante anos prepara pessoas para estes cargos, passo a passo, durante anos.

Esta é uma empresa sustentável por natureza, pois segundo nossa própria definição ela devolve ao mercado pessoas e modelos mais precisos e tecnicamente sólidos.

Existem pessoas que pensa que uma empresa formadora é extremamente rígida, o que é um engano, pois estas são sempre muito criativas.

Exemplos de empresas formadoras são muitos e principalmente no Japão se vê a todo o momento, pequenas, medias ou grandes.

“Certa vez realizei uma visita técnica a uma empresa media em que na sua portaria estava escrito, ‘Se duas pessoas concordam, então uma delas é dispensável”.

Típico de uma empresa formadora, pois esta estimulando a discussão dos problemas já na sua comunicação visual.

Outra grande empresa japonesa tem até uma universidade e estimula a discussão em grupos por meio de prêmios na busca de erros em todos os setores. Em 1975 quando começou este programa eles conseguiram reunir destas discussões em grupo cerca de trezentas mil sugestões para melhorar seus procedimentos, com um aproveitamento de 73% delas. Em 2005 este numero subiu para cinco milhões de sugestões com 98% de 
aproveitamento. 

Bem, esta empresa tem hoje um modelo de industrial copiado por todas as empresas modernas no mundo e por sinal tem seu nome, pois foi inventado por eles que se preocupam em aprimorar gente, pois gente é o maior patrimônio de uma empresa mesmo que eles discordem sobre muitos assuntos.    
   
Roberto Garini
Consultor de Empresas
Matemático pelo IME-USP 
MBA em consultoria de produtividade pela 
Associação das Indústrias do Japão Central – Nagoya-Japão