7 de setembro de 2016

hsoul

Síndrome da Mente Pequena


"Nenhum trabalho é pequeno ou grande por si só, é o profissional que o faz, em sua dimensão. Uma mente pequena converte um grande trabalho, em algo pequeno – Síndrome da Mente Pequena"

Durante os anos de atuação profissional, junto ao mercado de trabalho, sempre nos deparamos com diversos tipos de profissionais, independentemente do nicho mercadológico e área profissional, sejam: clientes, parceiros, chefes, subordinados, empresas, terceiros, alunos, projetos, treinamentos, reuniões, apresentações, cursos, consultas, atendimentos, entre outros.

Os gurus de Administração e Gestão de Capital Humano, nos Estados Unidos, criaram uma linha de pensamento muito interessante e aplicável; através da qual, norteia o entendimento, mensuração e classificação dos mais diversos profissionais, dentro de duas vertentes principais: Soft skill e Hard skill – em suma, explicitar o perfil de qualquer  individuo, dentro do contexto corporativo.
De forma objetiva, Hard skill corresponde a habilidade de executar atividades que dependam diretamente da experiência prévia e conhecimento adquirido, relacionados ao objetivo (core do negócio) da organização. Exemplos práticos: operação de máquinas, computadores, processos de back office (finanças, recursos humanos, expedição, etc), gestão de vendas. Essas habilidades são facilmente observadas e mensuradas, pois as organizações podem estabelecer critérios de controle claros e pré-definidos, são tangíveis, por si próprio.

Soft skill também conhecido como People skill, corresponde a variáveis muito mais difíceis de se observar e mensurar, utilizada por muitos profissionais, muito mais tempo em seu dia, que propriamente hard skill. Parte dos relacionamentos interpessoais, cooperação, trabalho em equipe, comunicação, escuta, comprometimento, disponibilidade, solução de conflitos, entre outros.
Esta metodologia é muito interessante  e proveitosa nos dias atuais, onde temos profissionais bastante deficitários em sua bagagem técnica, experiência e conhecimento, porém com ótimo comportamento e postura junto a organização. Por outro lado, também existem profissionais com alta experiência e conhecimento, com perfis de atuação totalmente deficitários e fracos. Como equilibrar e classificar de forma justa e assertiva estes tipos de profissionais? Como você classifica seu perfil soft e hard? Qual sobressai? Será que não podemos equilibrar essa “balança”?

Depois de um tempo elucubrando sobre esta teoria, cheguei a conclusão que podemos utilizá-la; porém de forma bastante comedida. O que determina ou classifica um bom ou péssimo profissional é uma síndrome a qual denominei de Síndrome da Mente Pequena.

Nenhum trabalho é pequeno ou grande por si só, é o profissional que o faz, em sua dimensão.
Uma mente pequena converte um grande trabalho, em algo pequeno (Síndrome da Mente Pequena).
Uma grande mente transforma um trabalho pequeno em algo grandioso! Busque a sua grandiosidade sempre!


Rodrigo Quinalha.
Co-Fundador HSoul
rodrigo.quinalha@hsoul.com.br